Pai se este cálice não pode passar



Pai se este cálice não pode passar

J. P. Martins

Pai, se este cálice não pode passar sem que Eu o beba,
faça-se a tua vontade, faça-se a tua vontade.

1. Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes?
Como estais longe da minha oração, /
das palavras do meu lamento?
Meu Deus, clamo de dia e não me respondeis,
clamo de noite e não me prestais atenção.

2. Vós, porém, habitais no santuário,
sois a glória de Israel,
em Vós esperaram nossos pais,
confiaram e Vós os libertastes.

3. A Vós clamaram e foram salvos,
confiaram em Vós e não foram confundidos.
Eu, porém, sou um verme e não um homem,
o opróbio dos homens e o desprezo da plebe.

4. Todos os que me vêem escarnecem de mim,
estendem os lábios e meneiam a cabeça:
“Confiou no Senhor, Ele que o livre,
Ele que o salve, se é seu amigo”.

5. Fostes Vós que me tirastes do seio materno,
sois Vós meu defensor desde o regaço de minha mãe.
A Vós fui entregue logo ao nascer,
desde o seio materno sois o meu Deus.

Sem áudio disponível