Livrai-me Senhor das portas do abismo



Livrai-me Senhor das portas do abismo

Livrai-me Senhor (Ant. 2)

Livrai-me, Senhor, das portas do abismo.

1. Eu disse: “Em meio da vida vou descer às portas da morte,
privado do resto dos meus anos”.
Eu disse: “Não mais verei o Senhor na terra dos vivos,
não verei mais ninguém entre os habitantes do mundo”.

2. Para longe de mim foi arrancada a minha morada,
como tenda de pastores.
Como tecelão, eu tecia a minha vida,
mas cortaram-me a trama.

3. Dia e noite sou consumido
e grito ao amanhecer.
Como um leão que dilacera os meus ossos,
assim sou consumido dia e noite.

4. Grito como a andorinha
e gemo como a pomba.
Cansam-se meus olhos de olhar para o alto;
socorrei-me, Senhor.

5. Por vós, Senhor, viverá o meu espírito,
e o meu sofrimento se converte em paz.
Preservastes a minha alma da corrupção da morte,
perdoastes todos os meus pecados.

6. Nem a morada dos mortos Vos louvará,
nem a morte Vos dará glória.
Para quem desce ao túmulo,
acaba a esperança na vossa fidelidade.

7. Só os vivos podem louvar-Vos,
como eu Vos louvo hoje.
O pai dará a conhecer aos seus filhos
a vossa fidelidade.

8. Senhor, vinde em meu auxílio,
e cantaremos nossos salmos,
todos os dias da nossa vida,
no templo do Senhor.

[restrict userlevel=’subscriber’]Livrai-me senhor - m luis
[/restrict]

Sem áudio disponível.


Autor: Is 38 / M. Luís
Sugerido para: Antífona, Defuntos, Laudes, Páscoa

Sem áudio disponível