É Natal todos os dias



É Natal todos os dias

O. Verruysse

É Natal cada vez que enxugas uma lágrima num rosto de criança.
É Natal cada vez que pousas tuas armas p’ra abraçar o teu irmão.
É Natal cada vez que evitas uma guerra e que abres os teus braços.
É Natal cada vez que obrigas a miséria a recuar p’ra longe.

É Natal sobre a terra cada dia.
Pois Natal, meu irmão, é o amor.
(2x)

É Natal quando tu esquecendo as ofensas fazes gestos de perdão.
É Natal quando enfim nasce a esperança de um amor mais real.
É Natal se de repente se calam as mentiras renascendo a verdade.
É Natal se em tua vida a dor que te perturba te dá um pouco de paz.

É Natal para os olhos do pobre que visitas no seu leito de dor.
É Natal no coração dos que são convidados a uma vida diferente.
É Natal para as mãos daqueles que partilham dia-a-dia o seu pão.
É Natal quando o ofendido esquece as ofensas e estende a sua mão.

Sem áudio disponível