24º Domingo

24º Domingo
Tempo Comum
Ano B




VER LEITURAS

Entrada

A Deus dêem graças os povos (de A. Espinosa)


A paz a paz vos deixo (de F. Silva)


Aclamai Jesus Cristo (de F. Silva)


Ao Deus do Universo (de J. Santos)


Cantarei ao Senhor um cântico novo (de F. Silva)


Creio em Jesus (de C. Erdozain)


Cristo vence (de A. Kunc)


Dai a paz Senhor (de M. Faria)


Deus vinde em meu auxílio (de F. Silva)


És Senhor minha força (de A. Espinosa)


Escutai Senhor a prece (de A. Cartageno)


Jesus nossa redenção / Tu és a nossa alegria (de M. Luís)


Senhor trazei-nos a paz (de Az. Oliveira)





Para usufruir de todas as funcionalidades, deve iniciar a sessão.
O registo no Laudate é gratuito.

Salmo Responsorial

Apresentação dos Dons

A paz a paz vos deixo (de F. Silva)


Como é admirável Senhor a Vossa bondade (de F. Santos)


Creio em Jesus (de C. Erdozain)


Escutai Senhor a prece (de A. Cartageno)


Jesus nossa redenção / Tu és a nossa alegria (de M. Luís)


Na hóstia sobre a patena (de C. Silva)


No teu altar Senhor (de M. T. Kolling)


Onde há caridade verdadeira (de C. Silva)


Quem me seguir (de A. Mendes)


Se alguém quiser seguir-me (de C. Silva)


Se vos amardes (de F. Silva)


Senhor eu creio que sois Cristo (de F. Silva)


Senhor trazei-nos a paz (de Az. Oliveira)


Subam até Vós (de M. Luís)


Comunhão

Pós-Comunhão

A Deus dêem graças os povos (de A. Espinosa)


A paz a paz vos deixo (de F. Silva)


Aclamai Jesus Cristo (de F. Silva)


Adorai o Senhor Deus (de Espiritual negro)


Ao Deus do Universo (de J. Santos)


Cantai comigo (de H. Faria)


Cantarei ao Senhor um cântico novo (de F. Silva)


Como é admirável Senhor a Vossa bondade (de F. Santos)


Creio em Jesus (de C. Erdozain)


Cristo vence (de A. Kunc)


És Senhor minha força (de A. Espinosa)


Eu creio em Ti Senhor (de C. Silva)


Jesus nossa redenção / Tu és a nossa alegria (de M. Luís)


O cálice da bênção (de F. Silva)


Onde há caridade verdadeira (de C. Silva)


Povo teu somos (de Loys Bourgeois, 1551)


Povos da terra louvai (de M. Simões)


Quem me seguir (de A. Mendes)


Se alguém quiser seguir-me (de C. Silva)


Se vos amardes (de F. Silva)


Senhor eu creio que sois Cristo (de F. Silva)


Senhor eu seguirei (de F. Fernandes)


Final

A Deus dêem graças os povos (de A. Espinosa)


A paz a paz vos deixo (de F. Silva)


Adorai o Senhor Deus (de Espiritual negro)


Ao Deus do Universo (de J. Santos)


Cantai comigo (de H. Faria)


Cantarei ao Senhor um cântico novo (de F. Silva)


Creio em Jesus (de C. Erdozain)


Cristo vence (de A. Kunc)


És Senhor minha força (de A. Espinosa)


Jesus nossa redenção / Tu és a nossa alegria (de M. Luís)


Povo teu somos (de Loys Bourgeois, 1551)


Povos da terra louvai (de M. Simões)


Quem me seguir (de A. Mendes)


Senhor eu seguirei (de F. Fernandes)


Leituras para 24º Domingo
Tempo Comum
Ano B

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Sir 36, 18
Dai a paz, Senhor, aos que em Vós esperam
e confirmai a verdade dos vossos profetas.
Escutai a prece dos vossos servos e abençoai o vosso povo.

ORAÇÃO COLECTA 
Deus, Criador e Senhor de todas as coisas,
lançai sobre nós o vosso olhar;
e para sentirmos em nós os efeitos do vosso amor,
dai-nos a graça de Vos servirmos com todo o coração.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

LEITURA I Is 50, 5-9a 
«Apresentei as costas àqueles que me batiam» 
Esta leitura do Antigo Testamento fala-nos de uma personagem a que a Sagrada Escritura dá o nome de “Servo do Senhor”. Apresenta-se como alguém obediente a Deus, sujeito a muitas humilhações, mas sempre confiante no Senhor, e que, por fim, Deus exaltará na glória. É a figura típica de Jesus na sua Paixão, obediente até à morte na Cruz, exaltado na glória da Ressurreição, como o Evangelho O vai apresentar. 

Leitura do Livro de Isaías 
O Senhor Deus abriu-me os ouvidos e eu não resisti nem recuei um passo. Apresentei as costas àqueles que me batiam e a face aos que me arrancavam a barba; não desviei o meu rosto dos que me insultavam e cuspiam. Mas o Senhor Deus veio em meu auxílio e por isso não fiquei envergonhado; tornei o meu rosto duro como pedra e sei que não ficarei desiludido. O meu advogado está perto de mim. Pretende alguém instaurar-me um processo? Compareçamos juntos. Quem é o meu adversário? Que se apresente! O Senhor Deus vem em meu auxílio. Quem ousará condenar-me?
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 114 (116), 1-2.3-4.5-6.8-9 (R. 9) 
Refrão: Andarei na presença do Senhor
sobre a terra dos vivos. Repete-se
Ou: Caminharei na terra dos vivos
na presença do Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Amo o Senhor,
porque ouviu a voz da minha súplica.
Ele me atendeu,
no dia em que O invoquei. Refrão

Apertaram-me os laços da morte,
caíram sobre mim as angústias do além,
vi-me na aflição e na dor.
Então invoquei o Senhor:
«Senhor, salvai a minha alma». Refrão

Justo e compassivo é o Senhor,
o nosso Deus é misericordioso.
O Senhor guarda os simples:
estava sem forças e o Senhor salvou-me. Refrão

Livrou da morte a minha alma,
das lágrimas os meus olhos, da queda os meus pés.
Andarei na presença do Senhor,
sobre a terra dos vivos. Refrão

LEITURA II Tg 2, 14-18 
«A fé sem obras está morta» 
A pregação de S. Tiago é muito concreta. A fé vive-se na prática da vida de cada dia, sobretudo nas relações com o próximo, que hão-de ter sempre a caridade como fundamento. A fé supõe a aceitação total da palavra de Deus, no pensar, no querer, no agir. Acreditar não é apenas admitir com a inteligência a verdade que a Igreja ensina, mas viver, em toda a vida, dessa mesma verdade. Doutro modo, a fé estaria morta, e a fé é um princípio de vida. 

Leitura da Epístola de São Tiago 
Irmãos: De que serve a alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Poderá essa fé obter-lhe a salvação? Se um irmão ou uma irmã não tiverem que vestir e lhes faltar o alimento de cada dia, e um de vós lhes disser: «Ide em paz. Aquecei-vos bem e saciai-vos», sem lhes dar o necessário para o corpo, de que lhes servem as vossas palavras? Assim também a fé sem obras está completamente morta. Mas dirá alguém: «Tu tens a fé e eu tenho as obras». Mostra-me a tua fé sem obras, que eu, pelas obras, te mostrarei a minha fé.
Palavra do Senhor.

ALELUIA cf. Gal 6, 14 
Refrão: Aleluia. Repete-se
Toda a minha glória está na cruz do Senhor,
por quem o mundo está crucificado para mim
e eu para o mundo. Refrão

EVANGELHO Mc 8, 27-35 
«Tu és o Messias… O Filho do homem tem de sofrer muito» 
Jesus anuncia, pela primeira vez, a sua Paixão, depois de Pedro ter feito um acto de fé na sua missão de Messias. Ao ouvir falar da Paixão Pedro escandaliza-se. Não consegue ligar as ideias de Messias com a do sofrimento, muito menos com a da Morte. Não tinha ainda compreendido as palavras sobre o “Servo de Deus” sofredor de que fala a primeira leitura. 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos 
Naquele tempo, Jesus partiu com os seus discípulos para as povoações de Cesareia de Filipe. No caminho, fez-lhes esta pergunta: «Quem dizem os homens que Eu sou?». Eles responderam: «Uns dizem João Baptista; outros, Elias; e outros, um dos profetas». Jesus então perguntou-lhes: «E vós, quem dizeis que Eu sou?». Pedro tomou a palavra e respondeu: «Tu és o Messias». Ordenou-lhes então severamente que não falassem d’Ele a ninguém. Depois, começou a ensinar-lhes que o Filho do homem tinha de sofrer muito, de ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e pelos escribas; de ser morto e ressuscitar três dias depois. E Jesus dizia-lhes claramente estas coisas. Então, Pedro tomou-O à parte e começou a contestá-l’O. Mas Jesus, voltando-Se e olhando para os discípulos, repreendeu Pedro, dizendo: «Vai-te, Satanás, porque não compreendes as coisas de Deus, mas só as dos homens». E, chamando a multidão com os seus discípulos, disse-lhes: «Se alguém quiser seguir-Me, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me. Na verdade, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; mas quem perder a vida, por causa de Mim e do Evangelho, salvá-la-á».
Palavra da salvação.

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS 
Ouvi, Senhor, com bondade as nossas súplicas
e recebei estas ofertas dos vossos fiéis,
para que os dons oferecidos por cada um de nós
para glória do vosso nome
sirvam para a salvação de todos.
Por Nosso Senhor.

ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 35, 8 
Como é admirável, Senhor, a vossa bondade!
À sombra das vossas asas se refugiam os homens.

Ou cf. 1 Cor 10, 16 
O cálice de bênção é comunhão no Sangue de Cristo;
e o pão que partimos é comunhão no Corpo do Senhor.

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO 
Senhor nosso Deus,
concedei que este sacramento celeste
nos santifique totalmente a alma e o corpo,
para que não sejamos conduzidos pelos nossos sentimentos
mas pela virtude vivificante do vosso Espírito.
Por Nosso Senhor.